Páginas

quarta-feira, fevereiro 02, 2011

Barco à vela

ventos do sul levam meu navio
e dentro dele há tanta saudade
suas velas feitas de pura vontade
o vento forte balança...
céus azuis manchados de branco
como numa linda aquarela
toca o mar e meu barco a vela
numa dessas tempestades
monstros, serpentes marinhas
nada há nessa aventura
que não faça parte da alma minha
vento calmo
solidão a vista
vento forte
coração ardendo
navio velejando
nesse mar inconstante de lágrimas salgadas
alma buscando
os tesouros que esperam
em alguma ilha deserta
os ventos me levam em busca
a procura de um coração
que bate em algum lugar
na beira-do-mar
os ventos me levam a encontrar
o porto que me espera
pra de vez em quando ancorar

2 comentários:

juanthorpez disse...

os Poetas Pobres passaram por aqui!
www.palcomp3.com/poetaspobres

Kethlene Vanzeler disse...

Obrigada!
fique a vontade para novas visitas!