Páginas

quarta-feira, novembro 11, 2009

FiLoSoFaNdO

O conceito de certo e errado varia de ser humano para ser humano. Crescemos absorvendo informações e conceitos pré-estabelecidos pela sociedade. O certo é certo porque passamos a vida acreditando que assim é, o mesmo acontece com o errado.

Notadamente, muitas condutas são realmente "certas" e outras realmente "erradas", mas merecem esta denominação pura e simplesmente porque causam não em apenas uma, mas em várias pessoas, uma reação negativa, de tal sorte, que é impossível não taxar.

A moral e a ética servem justamente para nortear a sociedade, de forma que existam menos conflitos entre os homens. O certo e o errado, configuram as bases para que a moral e a ética encontrem sua formação e razão mais profunda.

Desde a antiguidade o homem se preocupa com esses conceitos e compara seu comportamento de forma a analisar onde se encontra. Não raro é impelido a constatar que possui uma moral transgressora, e considerando inúmeros códigos de conduta criados por si próprio, percebe sua fragilidade e hipocrisia diante de suas próprias criações.

No íntimo do homem, ele sabe que existem posturas morais que não pode assumir sem causar a si próprio algum mal. A explicação para isso é que: temos consciência de que precisamos nos importar com o próximo (e nesse ponto, falamos de exemplos e sobre a própria imagem que passamos), mas adotar essa ou aquela conduta correta muitas vezes significa ferir a si próprio, ignorar os próprios desejos e inclinações.

Transgredir é dar um passo em direção a quebra de uma corrente, significa enfrentar um medo, medo do incerto, medo do inseguro e das consequeências que uma conduta pode ocasionar. Transgredir uma regra da sociedade é um mal, mas e transgredir a si próprio se abstendo das próprias crenças e percepções? A resposta é quase imediata... Significa ser egoísta, mas paira sobre a mente humana ainda mais um problema:
Quando nos levantamos pela manhã, o primeiro olhar é nosso, quando nos machucamos, a dor é nossa, quando ficamos felizes, a felicidade é nossa, e inúmeras outras sensações, são do homem e ninguém mais pode compartilhar. Somos um universo dentro de nós mesmos, um universo que precisa ser explorado.

A etica e a moral inúmeras vezes torna o ser humano tão comunitário, que ele esquece que primordialmente é apenas um, com emoções únicas, desejos únicos, com percepções inseparáveis da alma que possui. Transgredir a si próprio também é ato de enganar e trair... trair a si próprio tem consequências graves, pois... quem sentirá esta traição senão o próprio ser que sofreu das angustias esculpidas em sua mente?

É necessário equilíbrio em tudo... agir com responsabilidade em relação ao coletivo é dever humano, mas configura dever humano também cuidar de sí, pois quem não cuida bem de si, e não valoriza os próprios desejos e sonhos, muito dificilmente valorizará os sentimentos do outro.

Pensar sobre os conceitos fundamentais da consciência humana é navegar no legado que restou a humanidade... peregrinar num mar de incertezas e dúvidas, medos e pontes.

Não é atoa que Platão ao escrever o mito da caverna advertiu sobre o que acontece com quem ousa voltar à caverna e relatar o que é realmente o mundo, o filósofo é perseguido e morto pela comunidade, pois a sua verdade, àquela verdade oculta pelo véu do mundo das idéias que projeta apenas a sombra das estatuetas... é uma verdade de difícil compreensão e aceitação pela maioria das pessoas, e é sempre mais fácil ignorar as dificuldades quando não temos consciência suficiente para compreendê-las.

segunda-feira, novembro 09, 2009

oS aNjOs QuE D'uS mE eNvIoU

um anjinho sentado na janela me olhou
foi embora... eu tranquei a porta
outro anjinho sapeca me beliscou
e correu
um ajinho peralta veio depressa
falando mansinho...
tocou de levinho...
esse sim... quase me angelicou!!!!!!!!!!!!!!!!

agora fico aqui
contanto os pecados nos dedos

tentando não cair de cima da nuvem que ele me deixou

se eu cair ai... ai... ai de mim!!!

ai de mim que não tenho asas
que só tenho as penas
da flexa que ele me lançou...

anjo danado... se pego!!!
monto nas tuas asas
e te dirijo pra uma nuvem
macia como as pontas dos teus dedos

sexta-feira, outubro 30, 2009

ÉdEn

( I )

Simples magia...
eu reconheci teus dons num único sorriso
no fundo dos teus olhos mansos há um brilho
em ti um grande abismo
me sinto inclinada a pular...

o nosso riso se encontra
o nosso riso se perde
dois rios querendo desaguar
dois rios fugindo pro mar
dois barcos querendo ancorar

( II )

eu quero viver contigo...
eu quero uma casinha branca
cerca de arame
mato e bambu
ribeirão e banho nu
céu e chão
noites de chuva com vinho
meu cobertor a tua pele
dois navegadores pelo mundo
duas almas em busca da mesma aventura
duas almas criando um novo paraíso
duas almas vendo a mesma luz
duas almas virando uma...
para ser três...
duas vozes pra contar histórias de ninar
dois corpos pra abraçar
duas vidas pra me guiar...
a minha pequena parte do éden.

( III )

mas fugimos da serpente que nos mostrou essa maçã
ai não dá pra saber se ainda existe um sonho amanhã

A mesma canção

O que está acontecendo com as luzes eu não compreendo...
o mundo anda comum
não há grandes tesouros a serem encontrados
as coincidências não se mostram mais tão freqüentes
o acaso já provou ser o líder dessa história
e o destino não teima mais em querer ser protagonista
as pessoas continuam caminhando frenéticas
e do meu lado ninguém caminha daquele jeito
eu não ando mais pensando nos dias de ontem
e nem ando tentando construir pontes faraônicas
para utilidades pitorescas
todas as obras andam comuns
o meu mundo só continua o meu mundo
o meu tempo só continua o meu tempo
nenhuma música nova embalando minhas noites de sono
nenhum perfume novo a inebriar minha alma
nenhum desejo ardente a consumir minha lucidez
o radio trocou as trilhas sonoras...
o meu mundo só continua o meu mundo
o meu tempo só continua o meu tempo
e já faz muito que me proibi de ter saudades.

segunda-feira, outubro 19, 2009

A Ti Senhor

Olho pra dentro...

não penso no tempo



Te sinto Senhor!



Tuas mãos me carregam

Teu colo aconhegante me conforta



Sinto Tua presença Senhor!



Meu sono é leve

nos meus sonhos revelações



Tu me guias Senhor!



uma paz reina sobre meu ser

há resposta para o meu clamor



Tu me Sopras a vida ó Senhor!



meu pulmão não mais respira

meu coração não mais se aflige



Dentro de mim Tu moras Senhor!



a ti pertence o que de melhor eu tenho

meu sopro de vida...

não essa matéria fulgaz

mas aquilo que sou ontem, hoje e amanhã



A Ti meu espirito criador... meu Senhor!

terça-feira, outubro 06, 2009

NíVeA


a mais clara de todas as luzes humanas

a mais cândida de todas as cores...

olhar nos teus olhos é como se enxergar
diante de mil dilemas...

te pôr no colo ou descobrir teus pensamentos?

ter teu carinho é como ter todas as estrelas do firmamento
num só instante

estar contigo é ter a certeza
de ter sido contemplada com um dos anjos do céu

te fazer sorrir
é receber um prêmio...

não sou merecedora de toda a tua luz...
mas tento contemplá-la
tento conservá-la bem perto de mim...
tento que a clareza dos teus gestos
se reflita nos meus...

ainda que eu não seja merecedora
da tua cândida luz...
eu faria qualquer coisa para apreciá-la
eu faria qualquer coisa pra iluminar meus dias
com a tua presença...

ainda que fosse difícil te amar...
eu juro...
eu tentaria!
correria todos os riscos

Só pra te ter... iluminando meus dias






Poema dedicado a Nívea Vanzeler Estumano, minha irmã, a luz da minha vida. Impossível não constatar o grande amor que sinto por ela...

segunda-feira, outubro 05, 2009

eTeRnAs qUeStÕeS

O que tu me dirias se me visses agora?

me dirias que sou lembrança há muito guardada?

que sou apenas parte de uma história...
da qual a página já foi virada?

...me dirias ao certo que nosso tempo já passou
e que o tempo acalma sentimentos

Mas tu conseguirias olhar nos meus olhos?

Ingenuamente fugirias...
tentarias encontrar aquela ultima personagem

tu reconhecerias tuas culpas?

fugirias dos meus olhos...
na vã tentativa de não enxergar
a tristeza guardada no fundo dos meus

e teus olhos me diriam um segredo profundamente escondido:

que teus olhos andaram apagados

que passaram a vida escurecidos

pela falta da luz dos meus...

YoM KiPpUr

Antes que eu tivesse te visto
eu ouvi os acordes da tua voz em mim
foi como um chamado que veio de outros espaços
foi como um presságio...
momento para descobrir

procuro não saber o que tua presença significou
terá sido tu o primeiro sinal?
a primeira marca que o destino quis mostrar?

era um tempo deserto
era tudo tão incerto
tão vago dentro de mim

foi tempo de perdão
de amarga desilusão
de pesada solidão...

foi tempo de escrever no peito
a sangue frio
a página das primeiras lições...

era só o começo...
ainda há mais um Yom Kippur
precisando acontecer em mim

será mesmo que "algum dia" pode se repetir?

sIgInIfIcAdO

Para mim tu nunca serás um forasteiro
serás sempre cândida imagem
que eu por vãos momentos
pude apreciar de olhos abertos
matéria... de uma essência que eu pude tocar
calmaria...
memórias de um tempo bom...
saudade mansa
lembrança doce
a adoçar minhas noites amargas
lembrança quente
a esquentar minhas noites frias

terça-feira, setembro 29, 2009

Filosofias


De que fogo é feito o homem?
o que ele deve fazer com sua fome?
será que ele pode se livrar desse fardo pesado?
de que sonhos e de que medos... esse homem é feito?
qual a fórmula secreta?
de que mundos, de quantas estrelas... vem o homem com sua luz apagada?
com quantas estrelas se faz uma jornada?
quem será este homem perdido?
será feito do fruto proibido?
entre a luz... e a sombra
entre o inicio e o fim...
entre o céu e a terra...
entre a lua e sol...
entre o concavo e o convexo...
entre o sol e a lua...
entre o quente e o frio...
entre o medo e o desejo...
entre o masculino e o feminino
entre o preto e o branco
entre o bem e o mal
entre o ontem... o hoje... e o sempre...
o que há de mágico na glória desses mistérios?
com que letras se escreve... natureza?

domingo, julho 26, 2009

AcAmPaMeNtO

criaram um acampamento
pra nossa alma descansar das desilusões do mundo
criaram um subúrbio pra quem ama
pois os privês... são pros frios, pros que não acreditam

muitos tentaram não ser dominados por esse pensamento materialista
mas poucos são os que ousam ser segregados
por esses muros dourados que nenhuma alegria trazem...

o que sobra desses privês ilusórios
são momentos passageiros
que voam como os passáros...

talvez pra ti pareça um protesto piegas
mas então cuida bem do teu peito
pra que ele não seja perfurado por nenhuma flecha
pois até onde sei, culpido ainda não está aposentado!

que predam os que amam...
que eles sejam esquecidos
diante da frieza desse mundo

mas que sempre exista um acampamento...
pras almas suburbanas,
pra aquelas que preferem o calor de braços
do que o calor títulos inanimados

quarta-feira, junho 24, 2009

nInGuÉm eStÁ sÓ

sempre há um caminho pra se caminhar
sempre há um por-de-sol pra se ver
e um luar pra não se esquecer...
sempre há palavras novas pra ouvir
músicas pra se descobrir
emoções e momentos pra se viver...
há sempre um dia novo pra amnhecer
uma nova estrela que pode nascer...

segunda-feira, junho 22, 2009

nUvEnS

Eu levantei da terra
alcei meu maior voo
esqueci quem eu era...
esqueci quem eu era...

eu abri os braços
mas não houve abraço
houve solidão...
me parti em pedaços

e daquelas nuvens que eu andava
não sobrou nada
não sobrou nada
eu nao fui amada...

eu vi você como um anjo
sentado me dando adeus
e foi nesse dia
que tudo escureceu

eu percebi agora... você nunca foi meu!

sexta-feira, junho 12, 2009

aGoRa


vento frio
alma nua... congelando na verdade crua
que amanhã não terei teus beijos
que amanhã acordarei sem teu calor
que amanhã terei mais mil lembranças
a lutarem dentro de mim
agora as paisagens me fazem esquecer
que amanhã vai amanhecer
que amanhã nossos olhos não vão mais se ver
agora eu sinto teu cheiro... tomos teus beijos
faço poemas de amor ao teu ouvido
seguro tua mão bem forte
e você não me deixa cair...
agora... eu sinto todo o amor do mundo aqui...
e tudo em mim quer ficar em ti
agora... eu queria que o tempo parasse

sexta-feira, junho 05, 2009

AlGuM diA

haverá bem mais que esperaça

haverá bem mais que história a ser contada

haverá bem mais que o contar dos tempos

haverá bem mais que meras suposição sobre o tempo

haverá bem mais que inverno e verão

haverá certeza cristalina

que tudo está diante do espelho

segunda-feira, junho 01, 2009

PeDiDo


estou pegando a estrada...



indo rumo ao caminho que vai me levar pra ti
por favor não vá embora agora
já estou quase chegando ai...


LuGaReS qUe NuNcA pUdE iR


agora eu vou...

sim eu vou...

tocarei paisagens longe daqui

sentirei o aroma doce

do meu desejo realizado

agora somarei lembranças e momentos

que há muito já existiam em meus pensamentos

agora eu vou aos lugares que nunca pude ir acordada

vou aos lugares em que poderei ser amada

vou deixar meu coração amar

o amor que ele guardou

I jUsT wAnT bAcK fOr gOoD



I just want back for your taste


hold you in my arms





I need to have you beside me


I want to wake up feeling you





I want feel you in my arms again


and softly believe


that you are inside


And nothing can take you from here





I will go to the future


to take you of my memories and touch you again

terça-feira, maio 19, 2009

MaRiNhEiRo

Agora eu sinto a brisa da chuva que cai lá fora...
Sinto o som do silêncio... que não demora
Sinto as batidas lentas no meu próprio peito
Sinto o amanhã que vem... sempre vem!
contemplo as ondas e ao longe um veleiro

Agora eu lembro da sereia Yara nas pedras
E como era bonito seu canto!
Vejo o marinheiro que ela encanta
E ele tenta ir até ela
...mas ela foge!

Agora eu vejo a yara sozinha nas pedras
Ela contempla o horizonte
Talvez espere o seu marinheiro...
E seu canto tem um motivo
Tem amor... tem saudade

Agora eu olho para mim mesma
E sinto o gosto da saudade... da vontade
ardendo no peito
E tento não olhar para o horizonte
Pois descobri sozinha
Que os marinheiros nunca... nunca voltam!

sábado, maio 16, 2009

Cinza


Abro a porta... saio de casa sem pressa
sinto os pingos d’água que caem sobre mim
tudo parece pesado
tudo parece tão cinza...
eu queria que aparecesse um anjo agora na minha vida
eu queria que alguém tirasse esse peso do meu peito
nenhum abrigo me protege
a solidão consome tudo em mim
eu quero abrir o meu coração
quero fazer tudo o que sonho em fazer
como posso ser tão prisioneira?
como posso ser prisioneira de mim mesma?
não lembro do dia que construi esse cativeiro
não lembro em que momento eu fiz tudo isso
e deixei essa janela
e fico aqui a contemplar meus desejos que caminham pelo lado de fora...
vejo o mundo cinza

queria pintar ele pra ti e te entregar colorido

segunda-feira, maio 04, 2009

Pérolas

Um dia eu me vi nos teus olhos
um sussurro do tempo feliz em meu ouvido
um dia teus braços foram um templo
que eu docemente cultuava
um dia teu sorriso foi meu
como uma jóia que tu me davas
um dia tua mão segurou tão forte a minha
que eu não pensei soltá-la
Agora... frios estão teus olhos
em velhas fotografias
o teu perfume sensível
em meus pensamentos
me leva a salas vazias
o tempo passa...
e lembranças são como pérolas...
podem fazer do coração humano
uma ostra...
pérolas podem permanecer no coração
com sua eterna beleza
escondidas por toda uma vida
sem que jamais
alguém venha resgata-las

segunda-feira, abril 20, 2009

FiXaÇãO

Eu te proponho um pacto:
não morrermos de saudade
não matarmos nossas ilusões tão lindas...
não deixarmos nossos olhares tão distantes

eu te espero
pra navegarmos
nesse mar de desejos
e não deixe ele virar pura saudade
pura vontade esquecida

eu te proponho abrir os olhos
e não ver os meus
porque eu fecho os meus olhos
e me encontro nos teus

fixamente te olho
fixamente te procuro
meu coração só se acalma
com teu sorriso
fixamente te chamo baixinho:
-Vem ficar comigo!
-Vem ficar comigo!
- O universo conspira pro nosso encontro
-O universo fixou-se na gente

meu olhar procura o teu todos os segundos
meu olhar desafia todas as distâncias
nada mais em mim me obedece

tudo quer estar contigo...

sexta-feira, abril 17, 2009

Declaração de saudade


do teu jeito eu lembro bem

...impossível esquecer
sorriso no rosto
palavras doces
gestos macios
cabelos grisalhos
me mimando mais que nenem

não esqueço

dos teus conselhos
e teus olhos reprovadores
quando eu fazia alguma meninice
e da cara de zanga quando eu era peralta

eu te tinha nas mãos
quando eu chorava
teu colo me guardava
de todos os nãos

criastes mil nomes pra mim
e não há um que tenha mais de duas silabas
segurastes minhas mãos pequeninas
e me carregastes com teu aconchego

Este poema é um pedido de desculpas
e uma declaração de saudade
de quem deve passar mais tempo contigo
tens tanto a me ensinar
e eu tanto quero aprender contigo

o tempo não é sempre generoso...
como ainda é contigo e comigo...

Fecho meus olhos e te enxergo
sinto até o teu perfume
e me contagio com o teu sorriso
nessa vida te levo
e em meu coração
teu lugar é insubistituível

a saudade é só um identificador do quanto amamos alguém

e não há um só dia que eu não tenha saudade de ti...



Poema dedicado à Maria Nilza Martins Estumano, minha avó que mora distante.

segunda-feira, abril 06, 2009

Sonhos secretos


Rouba-me os segredos da alma

cala minha voz com lembranças doces

inebria-me completamente com apenas uma palavra

Como não ser contraditória com o resto do mundo

Se diante de toda a força que faço

para esquecer-te

Tua imagem ronda todos os meus sonhos mais secretos?

É como nadar contra uma onda gigante

e ser derrubada sempre no mesmo mar...

... essa vontade de sempre querer te encontrar

sexta-feira, abril 03, 2009

Animus Domini



vai ser lindo quando o sol raiar
vai ser lindo quando eu acordar
quando tocar o som dessas garoas

quando eu puder tocar nesses arranha-céus

eu vou acordar...
Vou ver o dia raiar

e vou gritar e cantar mais do que os pássaros

e me banhar de água
brilhar de estrela
nadar que nem sereia
nesses fios de água
e de pequena lava
grande borboleta
grande luz a brilhar no mundo
a hora da estrela chega
a hora do riso incontido chega...
e esse dia que lindo!
não serei mais desejo
mas doce cálice de vinho
semente do fruto maduro

fruto nunca colhido
perfume novo de vida
da grande roda gigante embalada
e finalmente terei minha hora marcada...

segunda-feira, março 23, 2009

before the world ends

Seems story
fairy tale
and nowadays it does not happens
but who knows...

seems illusion
I am half silly
but was fault of your chest
that kept me too strong

feeling black
you came to me
with boyish smile
and I was tattooed by you


I tried
Have a place in the world
You kissed me
impossible not to have been like this


you make me feel brand new
change my endless night
playing of Romeo and Juliet
don’t let this story just for me

I just wanna see you
I just wanna have you
I will not forget you
before the world ends

try to teach me to destroy the world
'coz my nights never ends
'coz my world never changes
'coz I just wanna be in arms
'coz I wanna be yours tonight

terça-feira, março 10, 2009

Descobertas

eu sempre descubro teus segredos
eu encontro teus medos
por trás desses olhos rígidos

eu sempre encontro saídas
sempre descubro um espaço em branco
dentro das tuas agendas
(mas quem dera um dia ter deixado minha assinatura)

eu sempre percebo teus desejos
e farejo teu olhar
mesmo quando ele parece correr para outras direções
(eu sei que no fundo tu me abrigas em teu peito... tão profundo quanto quanto o céu e sua imensidão)

domingo, janeiro 18, 2009

Momentos

a noite cai...
mas o dia sempre amanhece
brota uma semente
um botão de rosa se abre
antes que mais um dia se acabe

os ventos sopram para o norte
e as brisas trazem de volta os mesmos ares
um ciclo aberto
a dor e o remédio

a noite cai...
orvalho doce
lua banhada de prata
silenciosa companhia das estrelas

a noite cai... sempre cai
o dia renasce
noite e dia se completam
momentos de sombra e luz
na eterna sabedoria da natureza

quarta-feira, janeiro 14, 2009

Desconhecida

Sou uma desconhecida nessa terra de realidades cruas
sou uma imagem de sonhos irreais
ora! todos os sonhos não são apenas sonhos?
Como pode haver algum sonho que seja real?
De onde vim os sonhos são momentos tão ou mais reais que a realidade desse mundo
Sou uma desconhecida nesta terra sem fim
Sou passado nostálgico
e esperança sincera de dias melhores
minha alma não cala um segundo
mas minhas palavras são desconhecidas nesses muros de concreto
minhas palavras são como criaturas da noite
caminham, vagam... se perdem esquecidas
ficam em meio as sombras
quando encontram alguem: assustam!
Eu sou uma desconhecida
minha fama não é maior
que a transparência das minhas lágrimas em noites insanas
Sou uma desconhecida em meio as palavras de sonho, amor e tempo
Eu caminho rumo a estrada que me leve
estrada que chegue na morada dos poetas mortos pelos próprios versos
dos poetas eternos... por terem a alma imortal de poeta

quinta-feira, janeiro 08, 2009

O seu medo

Você tem medo de fechar os olhos
ver o que está dentro de você
perceber que você é poço
e que eu sou tua corrente

Você tem medo de abrir a boca
de dizer “eu te amo”
tudo porque alguém pode ver...
tudo porque eu posso não querer

Você tem medo de abrir os olhos
e enxergar o mundo
bem na sua frente tem uma estrada
será que eu sou teu rumo?!

Você acha que está no caminho certo
mas quando chega bem no meio da estrada
você reconhece... é a hora errada
eu quero ir pro fim
eu quero ir pro fim
ai você para e se pergunta:
será que você pensa em mim?!