Páginas

terça-feira, maio 19, 2009

MaRiNhEiRo

Agora eu sinto a brisa da chuva que cai lá fora...
Sinto o som do silêncio... que não demora
Sinto as batidas lentas no meu próprio peito
Sinto o amanhã que vem... sempre vem!
contemplo as ondas e ao longe um veleiro

Agora eu lembro da sereia Yara nas pedras
E como era bonito seu canto!
Vejo o marinheiro que ela encanta
E ele tenta ir até ela
...mas ela foge!

Agora eu vejo a yara sozinha nas pedras
Ela contempla o horizonte
Talvez espere o seu marinheiro...
E seu canto tem um motivo
Tem amor... tem saudade

Agora eu olho para mim mesma
E sinto o gosto da saudade... da vontade
ardendo no peito
E tento não olhar para o horizonte
Pois descobri sozinha
Que os marinheiros nunca... nunca voltam!

Nenhum comentário: