Páginas

domingo, agosto 17, 2008

Pedaço de inverno

A alvorada surge
Num tom prateado
O orvalho fino
Quem diria... transborda!

Os sapos pulam
Duma vitória - régea para a outra
E o mato verde
Parece ainda mais verde

A melodia que se ouve agora
São folhas sacudindo
E o som imponente dos ventos

Frios pingos d’água
Cobrem de frio a Yara
E assim navegam tranqüilos os marinheiros

Nenhum comentário: