Páginas

quarta-feira, novembro 15, 2006

Lágrima


Lágrima


Quando tu choras
Um pedaçinho do universo
Rola teu rosto abaixo
E tua lágrima
É uma corrente sólida de desilusão
E tudo que tu pensas
É um sonho distante
E tudo que tu queres
Nunca está ao teu alcance
E tu segues...
Segues com uma vela de cera
Na doce e amarga escuridão
Segues trôpega em silêncio
Sem por um momento esquecer
Que existe sol.

Nenhum comentário: