Páginas

sábado, novembro 18, 2006

Remédio

Remédio


Senti nas tuas mãos uma febre
Eu sempre quis ser seu remédio
Vidros bulas... comprimidos
Teu posto de saúde eficiente
Nada que pudesse ser imutável
Atingiria tuas receitas.
Tudo seria calmo
Como a canção das ondas
Trôpega... entorpecida
Eu não queria ser o motivo da tua doença
Tatuada no veludo negro
Brasa de desejo traçado
Quem poderia saber?
Senti em teu peito
Coração acelerado
Batidas que amo
Sem esse som
Não haveria sentido pra este verso
Deixa pra lá...
É interessante apenas que eu cure
Tudo que houver em teu peito.

Nenhum comentário: